domingo, 4 de maio de 2014

Subúrbio sempre surpreende!

Antonio Nunes de Souza*

Depois de mais de um ano, já me acostumando a morar fora do centro, cada dia que passa sempre acontece algo inovador e inesperado, nos surpreendendo com fatos interessantes, divertidos e, principalmente, agradáveis na sua maioria!
Alguns meses atrás conheci uma vizinha, que me inspirou um poema de amor, dado ao seu charme, elegância, beleza e um jeitinho meigo de nos olhar. Derramei uma série de nuances, fazendo com que acreditassem que estava me referindo a uma mulher e, no final, confesso para todos que se tratava de uma linda cadelinha Poodle, que ficamos trocando olhares dos nossos apartamentos, sendo que recebo alguns latidos e imagino que sejam palavras de afeto e simpatia!
O curioso é que dias atrás, passei a vislumbrar na janela do seu apartamento um vulto meio alourado, que sempre passava furtivamente, não me dando a oportunidade de uma identificação precisa, mas, com certeza, me enchia de curiosidades. Até que, num momento de sorte, tive a felicidade de ver que a amiguinha da minha vizinha era uma linda espécie de Mico Leão Dourado que, provavelmente, fugiu ou se perdeu da floresta de Arataca, vindo se instalar numa cidade grande, onde, provavelmente, não encontrará uma vida fácil por não ser seu “habitat” e, sendo um animal em extinção, muita gente deverá querer aprisioná-la pela espécie rara de beleza, porte e nobreza da sua raça.
Passei a olhar mais atentamente para colher maiores detalhes, mas nunca tive essa sorte, pois, não sei a razão, ela pouco aparece para o público, talvez com medo de ser aprisionada por alguém que não mereça ou que não vá lhe dar os carinhos merecidos. Porém, como tudo demora mas aparece, um belo dia a mãe de minha vizinha me ligou e desvendou o segredo, sem que eu perguntasse, muito embora estava cheio de curiosidades.
-Antonio vou aí para que você conheça minha sobrinha que está morando comigo, pois ela precisa trabalhar e, com seus conhecimentos, creio que poderá ajudá-la.
-Tudo bem, pode vir que será um prazer e, se eu puder fazer algo, farei com toda dedicação.
Aí pensei comigo mesmo que perguntaria se ela estava criando um Mico Leão Dourado e se não tinha medo de ser multada pelo Ibama. Mas, quando ela chegou trazendo ao seu lado a sua sobrinha, não tive a menor dúvida que se tratava do bonito vulto obscuro que via através das janelas. Uma mulher bonita, cabeleira cheia como uma linda juba leonina, meio alourada, olhar arisco de uma fera esperta e experiente, que já fora aprisionada e soube se libertar, enfim, uma charmosa mulher, meio fofinha, mas, como a “Friboi” está na moda, quem tem mais carne está levando muita vantagem. Posso dizer tratar-se de uma mulher que fascina!
Estava ali, em minha frente, mais uma surpresa que tive na minha adaptação de morador do subúrbio. Porém, desta feita, muito mais agradável por tratar-se de uma mulher de verdade, com a beleza de um símio admirado em todo mundo!


*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letras de Itabuna – antoniodaagral26@hotmail.com

Nenhum comentário: