quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Uma compra inesperada!

  
Antonio Nunes de Souza*

Diz o adágio popular que “Deus escreve certo por linhas tortas!” Curiosamente, sempre acontecem coisas que, rigorosamente, comprovam a veracidade da sabedoria do povo nas suas criações filosóficas e cheias de fé!
Assim como os romanos que compraram a cabeça de Jesus Cristo por modestas 30 moedas (no caso uma atitude atroz e sórdida, mas determinada por Deus, para provar porque o seu filho veio ao mundo), nós brasileiros, inesperadamente e sem uma previsão diretamente no sentido da compra efetuada, adquirimos a aprovação da encostada e repudiada pela câmara por vários anos, votação aberta para todas as ações, inclusive cassações de mandatos!
Podemos dizer que, graças aos minúsculos e pobres 20 centavos no aumento dos transportes urbanos, o povo pacato, cordeiro e ordeiro, foi as ruas, e as reivindicações foram ampliadas para outras áreas, chegando a uma que tanto nos alegra e dá um sabor de vitória brilhante, provando que, se nos mobilizarmos, deixarmos as omissões, pensarmos coletivamente, valorizarmos nossos votos, podemos consertar muitas distorções e injustiças que sofremos ao longo dos anos.
Não concordo com os atos de vandalismos gratuitos, destruições de lojas, bancos, ônibus, veículos e tudo que é visto pela frente, entretanto, muitas vezes, somente na porrada conseguiu-se algo com a frieza e hipocrisia de uma gama de políticos nada brasileiros que, com tranqüilidade, só se preocupam com suas melhorias pessoais e de seus parentes e amigos.
O que aconteceu essa semana merece o maior dos nossos repúdios de tão inacreditável e vergonhoso. Foi feita uma votação para que fosse estabelecida a cassação de um deputado federal, condenado por uma série de atos de bandidagem, presidiário cumprindo pena em regime fechado e, barbaramente, a câmara usando o seu direito de voto secreto, conseguiu a maioria absoluta de votos para inocentá-lo, dando-lhe o direito de continuar como representante do povo na assembléia, mesmo estando atrás das grades! Você diz: Inacreditável!!!
Mas, o mais inacreditável ainda é depois de pressões de alguns deputados e o povo em geral, essa mesma câmara que inocentou esse pulha, secretamente, vota por unanimidade que as votações passem a serem abertas para o povo. Não quero nem analisar o desprezível ato da mudança repentina lastreada no corporativismo, prefiro vibrar com a vitória do povo que, por lutar por 20 modestos centavos, comprou uma velha e pendente briga, hoje, praticamente, ganha!
Mais uma prova que o dito popular tem suas razões: “Deus escreve certo por linhas tortas”!


Escritor* Membro da Academia Grapiúna de Letras  -  antoniodaagral26@hotmail.com

Nenhum comentário: